06/11/2018 / Em: Administração

 

Todo empresário já se acostumou com clichês como “atingir metas”, “criar metas de vendas” ou “estabelecer metas para a equipe”. Em geral, não é explicado como isso deve ser feito ou o que pode ser considerado como uma meta factível para uma empresa de determinado porte. É aí que entra a gestão de metas.

gestão de metas

Para começar, gestão de metas não é como sal — não adianta colocar ao gosto do chefe e esperar resultados espetaculares. Para criar metas factíveis, é necessário conhecer a empresa, a equipe, o mercado e saber implementar OKRs (objetivos e resultados-chave).

Por isso, neste artigo você vai aprender como aprimorar sua gestão, obter resultados sólidos e crescer de forma sustentável. Confira!

O que são OKRs

OKRs fazem parte de um método desenvolvido pela Intel para suprir a carência de uma estrutura para definição de metas. A mesma metodologia foi adotada pelo Google durante seu primeiro ano de atividade, quando ainda era uma empresa minúscula. Até hoje, diversas empresas do Vale do Sílício apostam nos OKRs para gerir metas de forma eficaz e objetiva.

A principal vantagem dos OKRs é a simplicidade. Empresas de base tecnológica iniciam suas atividades com uma estrutura enxuta e pretensão de escalabilidade, portanto não podem se dar ao luxo de usar ferramentas de difícil compreensão.

Com metas simples e claras, a equipe pode se dedicar à busca pelos resultados. Cada profissional entende o escopo do seu trabalho e sabe o que fazer, o que estimula a motivação, o engajamento e a produtividade individual. Os OKRs ajudam a manter o foco nos resultados que mais interessam à empresa e, com isso, é possível o desperdício de esforços.

A implementação dessa estrutura deve se dar de cima para baixo — top-down — com a liderança adotando objetivos e métricas entre os próprios executivos. Ao longo do tempo, quando houver maior aceitação entre as equipes, é necessário permitir que elas elaborem seus objetivos para aumentar o engajamento das equipes com os resultados da empresa.

O uso de OKRs para gestão de metas pode criar vantagem competitiva para as empresas brasileiras, muitas das quais vão à falência por não terem um simples planejamento estratégico.

Dicas para implementar OKRs na gestão de metas

Se você quer usar OKRs para gestão de metas, leia abaixo 5 dicas para implementá-las com sucesso.

1. Estabeleça OKRs simples e mensuráveis

Objetivos ambiciosos não precisam ser inatingíveis, mas podem ser estabelecidos para estimular a busca pelo melhor resultado possível — ainda que previsivelmente inferior ao almejado. Quando se trata de gestão de metas, quando um objetivo é plenamente atingido, pode significar que a meta não foi suficientemente ousada.

Para saber onde é necessário investir, é preciso entender que OKRs se baseiam em métricas. Há os objetivos para a empresa e, para cada objetivo, vários resultados-chave para serem atingidos ao longo do trimestre.

A mensuração se dá pelos resultados-chave. Por exemplo, se 70% foram atingidos, parte do objetivo foi alcançada. Já quando 100% dos resultados são alcançados, pode significar que o objetivo não era suficientemente ousado.

O ideal é que todos sejam descritos claramente para que tanto os líderes quanto os funcionários entendam o seu papel dentro dos objetivos desejados e concentrem seus esforços. Também é bom se lembrar de que os objetivos devem ser trimestrais, tempo ideal para o planejamento e execução de ações.

2. Compartilhe os OKRs com todos os funcionários

Sem transparência, a gestão de metas com OKRs é impraticável. O propósito não é apenas exigir produtividade dos funcionários, mas deixar claro os objetivos da empresa e qual o papel de cada profissional nesse contexto. Use as ferramentas de comunicação da empresa para compartilhar os OKRs e estimular o engajamento do pessoal.

Quando uma empresa amadurece no uso dos OKRs, a maior parte dos objetivos deve passar a ser definida pelo nível hierárquico mais baixo. Assim, cada trabalhador sabe onde estão sendo depositados seus esforços e que seu trabalho não é vão — com isso, eles passam a se sentir parte da empresa e tão responsável pelos objetivos quanto os executivos.

3. Não use os OKRs para vigiar desempenho

Há ferramentas para mensurar o desempenho das equipes e premiá-las ou censurá-las conforme o resultado. As OKRs devem ser usadas para obter engajamento e estimular a motivação, não como instrumento de controle. Se um objetivo não for atingido no trimestre, pode ser melhor trabalhado no próximo.

Se forem utilizados para controlar o trabalho dos funcionários, os OKRs são esvaziados de seu significado e propósito. Isso faz com que eles percam adesão junto aos funcionários e se tornem mais um desperdício.

Apesar de serem indicadores de progresso da empresa, os OKRs devem ser vistos como ferramenta de comunicação, engajamento e direcionamento.

4. Não confunda métricas com tarefas

O foco do trabalho deve ser o resultado, não o trabalho em si. Os resultados-chave não são um checklist do que deve ser feito, mas métricas para avaliação dos objetivos estabelecidos. Mesmo que as tarefas sejam desempenhadas, é possível que o resultado seja nulo, o que evidencia um problema gerencial.

Quando o foco é colocado no desempenho em relação aos objetivos — aumento das vendas, maiores índices de satisfação dos clientes, melhores produtos — os esforços são direcionados da forma correta. Um funcionário ocupado não é necessariamente um funcionário produtivo. Pense nisso!

5. Torne os OKRs parte da cultura da empresa

Com o tempo, o uso bem-sucedido dos OKRs deve se consolidar como parte da forma como a empresa opera e como se dá a relação entre seus funcionários — ou seja, parte da cultura organizacional. Novos funcionários devem entender o que são e como funcionam os OKRs, o que se espera dele em relação aos objetivos trimestrais e como sugerir novos objetivos.

Além de ter uma gestão de metas eficaz, a empresa se beneficia com a transparência, com o relacionamento próximo junto aos seus funcionários e com o engajamento proporcionado pela gestão de metas. Com a motivação, é possível atingir maior produtividade e o desejo por entregar resultados.

A gestão de metas com OKRs é uma ótima maneira não apenas de definir objetivos de forma eficiente, mas também de estimular os funcionários e apresentar um propósito para todo trabalho e esforço desempenhados em favor do negócio. É uma peça essencial para uma gestão participativa e para empresas guiadas por resultados.

Sem dados confiáveis, não há como gerenciar negócios. Por isso, aproveite para descobrir como os relatórios de análise de vendas podem ajudar você na tomada de decisões!

Comentários