16/08/2017 / Em: Gestão

 

Qualquer empresário que se preocupa com a gestão financeira do seu negócio precisa saber como conseguir conduzir a empresa de maneira profissional e organizada.

gestão financeira

Ser desatento ou negligente com as suas contas pode comprometer muito o futuro da empresa. Para ajudá-lo a deixar as finanças bem arrumadas, listamos algumas dicas eficazes para você colocar em prática no seu negócio. Confira!

1. Tenha um controle financeiro atualizado

Antes de pensar em qualquer tipo de tomada de decisão em seu negócio é preciso que você tenha uma noção precisa do seu fluxo financeiro.

Não estamos falando somente sobre o levantamento do seu caixa ou saber quanto você vendeu no mês passado. É bem mais que isso. Você precisa ter na palma das mãos informações de todo o negócio, pelo menos as principais.

Além disso, é fundamental que todas estas informações estejam atualizadas. Do contrário, não serão tão úteis assim.

Por isso, busque utilizar um sistema que seja prático e completo. Certifique-se de que você consegue saber quanto vendeu a prazo, quando vai receber estas vendas, quais os seus compromissos com seus fornecedores, como anda seu estoque, sua inadimplência, sua necessidade de capital de giro, sua lucratividade, a margem de ganho em cada produto que oferece aos seus clientes etc.

Tendo este tipo de informações de maneira rápida e confiável, a sua gestão financeira será extremamente mais eficiente e seus resultados, com certeza, também serão melhores.

Alguns empreendedores fazem esses controles por meio de planilhas próprias e não há problema nisso, mas se você tiver a oportunidade de adotar um sistema de gestão que consiga automatizar suas operações, vai ver como este tipo de investimento se paga e como a margem de erros da sua gestão financeira reduzirá consideravelmente.

2. Não descuide do seu estoque

Quem ganha a vida por meio do comércio não pode descuidar do seu controle de estoque. Ter um bom giro de mercadorias significa fôlego nas contas da empresa e estabilidade financeira.

Contudo, a gestão do estoque exige um pouco mais de atenção do que, simplesmente, manter prateleiras cheias. É preciso saber como e quando se deve abastecer a empresa.

Um dos pontos de destaque é a correta observação das tendências de mercado. É preciso saber o que deve ser comprado, o que está entrando na moda, aqueles produtos que mostram ter grande chance de cair no gosto do público.

Do contrário, você pode acabar com estoques cheios de itens que não têm liquidez nas vendas, fazendo com que o seu capital fique parado, empoeirando.

Outra coisa é o volume de compras. Grandes pedidos junto aos seus fornecedores devem ser feitos apenas com produtos que se têm um pouco mais de certeza quanto à saída.

Nesses casos, tente uma negociação melhor pelo volume. Veja se consegue descontos pagando à vista, ou um parcelamento que facilite o pagamento com o dinheiro que vem das suas próprias vendas.

Mais um ponto importante na hora de fazer o controle de estoque é manter seus números atualizados. Dar baixa das mercadorias que saem é tão importante quanto ter um inventário confiável do que existe realmente no estoque. Para garantir que esses números estejam batendo, faça os lançamentos de entrada e saída de mercadorias o quanto antes. Baixe agora nossa planilha de estoque

3. Fique de olho nos seus gastos

Em épocas de mercado retraído, consumidores mais ariscos ou qualquer outro tipo de dificuldade que impacte diretamente no faturamento da empresa, é muito comum que os donos e gestores de negócios comecem a procurar formas de economizar e custos a serem cortados.

Apesar de ser uma boa prática, essa investigação que tem como objetivo “enxugar” as contas da empresa não precisa ser feita somente em épocas de vacas magras.

Mesmo que você não esteja passando por uma fase muito complicada, vale a pena repassar seus gastos. Pegue o seu controle financeiro e avalie com bastante critério para onde está indo o dinheiro da sua empresa. Veja se existe um motivo relevante para cada investimento e qual o resultado final.

Não estamos falando em sair cortando, por exemplo, a verba do marketing. Afinal, ela é responsável por manter os clientes chegando até a sua empresa. A questão é ver se algum gasto poderia ser feito de forma diferente, de maneira a impactar menos o seu negócio ou ajudá-lo a faturar mais.

Confira se você precisa imprimir, necessariamente, todos os documentos que tem impresso, se existe algum desperdício de material, se você está utilizando seus recursos da melhor forma possível.

Não deixe para economizar amanhã o que você pode economizar hoje. Faça isso com sabedoria e colha o quanto antes os benefícios de um negócio melhor ajustado.

4. Mantenha a organização

Além de procurar sempre deixar a sua empresa bem organizada fisicamente, de maneira a deixar tudo limpo e em seu devido lugar, a organização dos seus processos administrativos e financeiros é igualmente importante.

Essa organização diz respeito a fazer os lançamentos corretos no seu sistema de gestão, manter dados atualizados e deixar todos os seus documentos bem separados.

Além de perder menos tempo procurando por uma nota fiscal eletrônica ou o recibo de um fornecedor, por exemplo, esse tipo de cuidado garantirá que menos erros possam acontecer em seu negócio. Assim, uma conta sem pagar ou um lançamento que não tiver sido feito adequadamente, por exemplo, ficará mais fácil de ser identificado e corrigido.

Ainda sobre esse assunto, uma última boa prática que você precisa ter é não misturar dinheiro da empresa com o seu pessoal. Se, em último caso, precisar inteirar o troco para um cliente ou algo do tipo, registre a operação e depois faça a compensação.

Empresas organizadas funcionam sempre melhor e é por isso que você também precisa manter tudo em ordem em seu financeiro.

Agora que você já sabe como fazer para ter uma gestão financeira eficiente, talvez queira conhecer um pouco mais a respeito de boas práticas na sua área comercial. Para isso, elaboramos um conteúdo especial para mostrar por que você deve investir no setor de vendas. Confira!

 

Comentários