30/08/2017 / Em: NFC-e, SAT

 

Com o objetivo de otimizar a escrituração contábil fiscal, a SEFAZ — Secretaria da Fazenda — do Estado de São Paulo desenvolveu um novo sistema para modernizar a relação do contribuinte com os órgãos fiscais: o Sat.

Sat Fiscal

Você sabe o que é Sat Fiscal e quais as promessas dele para o dia a dia de um empreendedor? Essa inovação promete revolucionar a gestão contábil e garantir que gestores tenham mais praticidade e economia tempo para investir nos próprios negócios!

Quer entender mais sobre o assunto e entender como se dá a aplicabilidade do Sat? Acompanhe este post e entenda!

O que é o Sat?

Sat — sigla para Sistema Autenticador e Transmissor —, como o próprio nome diz, é um aparelho responsável por autenticar as vendas feitas para o consumidor final. Em 2008 a SEFAZ começou a produzir esse modelo de monitoramento e controle fiscal e agora ele foi regulamentado por uma portaria do Estado de São Paulo.

A ideia básica da SEFAZ foi desenvolver um software para receber as informações sobre as transações de cada cliente e, caso autorizadas, concretizar essas operações. Uma vez aceitas, o Sat armazenará internamente esses dados e, assim que tiver uma conexão com a internet, as enviará para o fisco.

Ele facilita as tarefas de quem quer abrir uma empresa e melhora as práticas de empreendedores que já estão atuando no mercado.

Para que serve?

Agora que você entendeu o que é Sat Fiscal, é importante entender sua aplicabilidade no dia a dia de empreendedores. Esse aparelho é responsável por emitir CF-es — cupons fiscais eletrônicos — das vendas feitas dentro do seu negócio e pode guardar todas as operações de circulação de mercadoria da empresa.

Isso dá mais praticidade para que os gestores reúnam as documentações da atividade, evitando problemas de prestação de contas com o Fisco.

Como o Sat é regulamentado por uma lei paulista, que hoje já se aplica a outros estados, como o Ceará, os aparelhos contam com uma assinatura digital própria, dando validade jurídica às emissões da rotina empresarial.

A emissão desses cupons fiscais é fundamental para o monitoramento da Receita Federal. Como o volume de compra e venda cresceu com o tempo, surgiu a necessidade de modernizar o controle das CF-es e dar mais dinamicidade a elas.

Assim, o Sat vem para otimizar os processos administrativos e fiscais de empreendedores, criando um sistema integrado com a Secretaria da Fazenda, que recebe as informações em tempo real, checa a validade e retorna o documento para o empreendedor.

Tida como uma solução para substituir o antigo sistema ECF — Emissores de Cupom Fiscal —, os novos aparelhos contam, além da tecnologia mais atualizada, com um sistema de segurança muito melhor para os usuários.

Como funciona?

Esse aparelho nada mais é do que um hardware conectado a um computador que possua um aplicativo comercial, profissionalizando os processos do setor de vendas.

Uma vez conectado e instalado pela máquina, o sistema do Sat começa a se comunicar com o app do seu negócio. Para cada venda realizada, é criado um arquivo transmitido para o Sistema Autenticador e Transmissor para analisar os dados, autenticá-los e, então, gerar um cupom fiscal eletrônico para sua máquina.

Como ele possui armazenamento próprio, não é necessário um serviço de internet para integrar as informações locais com a SEFAZ: ele armazenará tudo internamente e, assim que uma conexão for estabelecida, enviará tudo para a Fazenda.

A comunicação entre sua empresa e a Receita será feita de forma online. Assim, ao receber cupons armazenados, é possível fazer a validação e a disponibilização de maneira muito mais rápida!

Você ainda pode imprimir o extrato gerado por meio do próprio aplicativo comercial da sua empresa, bastando apenas haver uma impressora capaz de emitir códigos de barras bidimensionais — o chamado QR Code —, recurso popular entre os produtos mais recentes do mercado.

Por que ele é importante?

Quer saber os benefícios práticos do Sat para o seu negócio? Pois bem. A rotina de gestores nesse mercado cada vez mais disputado pode ser bem estressante e, portanto, usar melhor o próprio tempo deve ser um dos principais objetivos de todo profissional que busca o sucesso.

A ideia é simples: investir em um aparelho que dinamiza a conferência de uma atividade que acontece com grande frequência — sem perder o aspecto legal —, como a emissão de cupons fiscais, enquanto garante uma melhor utilização do tempo disponível. Assim, algumas vantagens podem ser percebidas:

  • redução dos custos com CF-e;
  • acompanhamento em tempo real dos documentos enviados para a SEFAZ;
  • mais profissionalismo aos olhos dos clientes, que poderão acompanhar o prazo de registro;
  • automatização de processos de autenticação e transmissão de dados;
  • alinhamento com a lei atual do estado — principalmente de São Paulo;
  • otimização do tempo com um sistema rápido, simples e de fácil treinamento para uso.

Dessa forma, sua empresa obedecerá os requisitos legais e armazenará todas as transações do dia a dia do negócio. Isso garante um melhor posicionamento da sua marca perante os clientes e assegura que toda a documentação legal esteja salva e disponível para quando for necessário.

Quais os requisitos para utilizá-lo?

Não há nenhum requisito formal para modelos de empreendimentos que podem adotar o Sat Fiscal. Contudo, em questão material, alguns aparelhos — como já falamos brevemente — são fundamentais para sua aplicação:

  • computador com porta USB;
  • aplicativo comercial;
  • impressora — com capacidade para imprimir códigos de barra dimensionais;
  • internet;
  • aparelho Sat.

Na prática, esses requisitos já fazem parte do dia a dia de qualquer negócio, bastando apenas a conexão via USB do aparelho no seu computador.

O mais importante é adaptar-se ao novo modelo, treinando funcionários para lidar com essa inovação na rotina da empresa e procurando parceiros responsáveis por fazer um software comercial de fácil interação com o Sat. Sistemas que conversem com esse aparelho são um passo estratégico para melhorar o fluxo de trabalho.

Assim, é possível remodelar atividades desatualizadas e preparar a equipe para lidar com um ambiente mais profissional, aprimorando a sua gestão de vendas.

E aí, aprendeu o que é Sat Fiscal e sua aplicabilidade em um negócio atualizado? Quer se aprofundar ainda mais no tema? Então aprenda tudo sobre a emissão de Nota Fiscal Eletrônica!

DEVI-PDV-Emissão-de-NFCe

 

Comentários